A Internet e seus conceitos básicos

Não há dúvidas de que a Internet foi revolucionária e hoje é indispensável para nossa rotina. Navegamos diariamente e fazemos as mais diversas tarefas a partir desse sistema. Tudo parece bastante automático. Mas você sabe como a Internet funciona?

Afinal, o que é a Internet?
A Internet é uma rede de computadores unidos entre si a partir de uma linguagem comum. Em outras palavras, a Internet organiza e une as requisições dos usuários que estão em rede.

Ela surgiu com um contexto político no final dos anos 1960, quando os Estados Unidos trocavam informações e mensagens durante a Guerra Fria. Um dos maiores nomes da história da Internet foi Tim Berners-Lee, que criou o protocolo HTTP e a linguagem HTML, respectivamente um “sistema de pedido” e uma “língua comum” para atender a essas requisições.

E como ela funciona?
Basicamente, o funcionamento da Internet nada mais é do que uma sucessão de pedidos e entregas de informação, que precisa de uma pequena tradução no meio do caminho.

O cliente, a partir do navegador, faz suas requisições. Por exemplo, ele digita na barra de navegação que quer entrar num site de notícias ou no Google. Por mais que não percebamos, quando digitamos o endereço do site o navegador traduz esse pedido numa linguagem específica para que o site entenda o pedido do usuário. Nesse caso, a requisição é feita utilizando o protocolo HTTP.

“HTTP” é a sigla para para “HyperText Transfer Protocol”, ou “Protocolo de Transferência de Hipertexto”, em português. Esse é o tal sistema de pedidos que a Internet utiliza, e ele nada mais é do que o estabelecimento de algumas “regrinhas” para essa troca de dados. Em outras palavras, é como se fossem as regras para envio de uma correspondência comum, nos correios.

Todo o conteúdo dos sites é armazenado em servidores, que são, basicamente, computadores capazes de servir informações, por isso o nome, servidores. Quando digitamos o endereço de um site no navegador, estamos fazendo uma requisição: o navegador busca nos servidores de domínios (chamados DNS) o endereço correspondente ao nome(URL) que digitamos (esse endereço se chama IP). Se o servidor DNS não conhecer aquele endereço, ele pergunta para o próximo, até encontrar o servidor que tem a informação. Com o endereço IP identificado, o navegador consegue fazer a requisição para um outro tipo de servidor que armazena o conteúdo do site. Em resposta a essa requisição, recebemos o código que corresponde ao conteúdo do site que estamos procurando. E como não navegamos por código, o trabalho do navegador é justamente organizar e traduzir esse código recebido na forma de textos, animações, imagens, vídeos… Enfim, nos mostrar o site com “cara de site”.

Assim, o código HTML é a linguagem “virtual” que tanto o servidor quanto o navegador entendem. O que vemos, portanto, é o código “traduzido”. Uma das funções da programação, portanto, é construir os códigos que vão ser lidos pelos navegadores e serão vistos, finalmente, como sites.

E onde entra a programação?

Os mais diversos tipos de sites e páginas para os usuários também são criados por meio da programação. É a programação do “visual” do site, chamada de front-end. Existe também códigos que interferem em outras etapas desse processo de comunicação, que não são visíveis ao usuário, a chamada programação back-end.

Os códigos podem criar páginas estáticas – como a que vemos quando digitamos www.programaria.org, por exemplo –, ou ainda criar páginas dinâmicas, que são diferentes para cada usuário. Um exemplo disso são os álbuns de fotografia do Facebook – único para cada usuário.

Em outras palavras, programar significa criar linguagens justamente para traduzir e personalizar as requisições de cada usuário. Quanto mais dominamos essa linguagem, aumentamos nosso leque para criar opções de sites, cada vez com mais recursos.

Tecla SAP (ou Termos que você vai ver por aí)
Se você pesquisar mais a fundo esse tema, alguns termos técnicos irão aparecer nos resultados. Fizemos uma lista pra te ajudar a descomplicar o “internetês”.

  • IP: cada usuário e cada site tem um endereço, o chamado IP, um conjunto de números que serve como identidade de quem usa. É a partir desse caminho que os protocolos saberão de onde veio o pedido, para quem veio e para onde ele deve enviar a informação.
  • Pacotes TCP/IP: basicamente, toda informação transmitida entre IPs vem em pacotes, os quais têm formatos preestabelecidos. Como todas as requisições obedecem à mesma linguagem, essas informações precisam vir organizadas e ordenadas para que sejam compreendidas. Esses pacotes estão relacionados aos dados transmitidos pelas redes.
  • Servidor DNS (Domain Name Service): é o lugar onde ficam registrados os nomes e os IPs dos sites. É impossível ter dois endereços iguais, porque cada um vai armazenar informações referentes a um site. Além desses, existem ainda servidores responsáveis só por armazenar o conteúdo dos sites.
  • Sistemas CMS (Content Management System): são sistemas responsáveis por organizar o conteúdo para um site. Por isso que para gerenciar um blog não precisamos saber programar. Existem interfaces que auxiliam os usuários a colocarem suas informações e o que desejam publicar.
  • Cookies: quando visitamos algum site, deixamos esse pequeno registros. Ele indica ao servidor que já visitamos aquele site alguma vez e nos ajuda a personalizar a navegação na Internet.

 


Camila Berto Tescarollo está se formando em jornalismo na USP. Gosta de ler e trocar cartas e também se aventura no design quando pode.


 

Textos do Curso Eu Programo

Este conteúdo foi escrito com base na Aula 01 do Curso Eu Programo, de introdução à programação e desenvolvimento web. Veja outros textos baseados no material do Curso Eu Programo, clicando aqui.

Comentários

One thought on “A Internet e seus conceitos básicos

  • Perfeito!!! Amei a explicação!

    Só acho que ficou faltando dizer o significado da sigla HTML: HyperText Markup Language ! 😀

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *