“Hoje nem HTML nem CSS nenhum me botam medo”

Mais de 100 mulheres com pouco ou nenhum contato com programação participaram de uma das seis oficinas de programação RodAda Hacker em diversos lugares da cidade de São Paulo, durante a São Paulo Tech Week, movimento que tem o objetivo de posicionar a capital paulista como um hub global de inovação.

A PrograMaria foi convidada para organizar uma das oficinas, realizada no maravilhoso Preto Café, no dia 8 de novembro de 2015. Nesse dia, 20 mulheres interessadas em aprender a programar assistiram a palestras introdutórias e depois colocaram a mão na massa. Depois de oito horas de oficina, elas saíram com uma página publicada na web! *orgulho*

Nosso objetivo foi desenhar uma primeira experiência leve e divertida para que as mulheres pudessem conhecer conceitos básicos para desmistificar a programação e, principalmente, continuar aprendendo depois da oficina.

Projetos realizados durante RodAda Hacker + PrograMaria.

A designer Luiza Peixe foi uma das participantes e nos emocionou com este relato:

Ela já conhecia o RodAda Hacker, mas nunca havia participado. “Talvez por medo de ser iniciante demais para participar. MUITA besteira da minha parte pensar assim”, contou. Ela se inscreveu movida pelo dito “programe ou seja programadE”.

“Possuir habilidades de desenvolvimento em código faz de qualquer pessoa uma fazedora de revoluções. Como se qualquer problema cotidiano, seja ele banal ou grave, possa ser resolvido com algumas horas de dedicação a códigos. Como se a frase “poxa, bem que alguém podia inventar um (…)” não precisasse mais ser dita, já que esse alguém inventor pode ser eu, ou você, ou qualquer um.” (Luiza Peixe)

O que ela mais curtiu (e nós também) foi a troca de experiências, conhecimento e apoio entre as mulheres. “É comum ouvir por aí que mulheres têm entre si um comportamento social de competição. Gostaria que as pessoas que acreditam nisso estivessem assistindo à nossa dinâmica, tão subversiva no que diz respeito à ‘natural competição feminina’”. E foi exatemente isso: mulheres ajudando mulheres a desvendar esse mundo muitas vezes intimidador da programação.

Carina Oliveira, estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, deu outro depoimento digno de imprimir e colar na nossa parede:

O evento foi inspirador, saí de lá acreditando muito no meu potencial. Foi como desmistificar a programação, percebi que o monstro de sete cabeças, na realidade, tem uma cabeça só e que posso aprender o que quiser e trabalhar com o que eu quiser nessa área! 😀

Essa é a razão de ser da PrograMaria: mostrar para as mulheres que, diferentemente do que costumamos ouvir, somos capazes de aprender o que quisermos!

Ficou curiosa? Veja as apresentações que rolaram no dia:
Mulheres e tecnologia

Introdução à programação

Veja o vídeo que o site Mundo API fez sobre a nossa RodAda:

A RodAda Hacker é uma iniciativa do Olabi, do Rio de Janeiro, que foca no estímulo à apropriação de novas tecnologias por meninas e mulheres, por meio de oficinas colaborativas especialmente desenhadas para o público feminino. A metodologia é aberta e qualquer um pode replicar em sua comunidade. O passo a passo de como organizar uma RodAda está disponível no site http://rodadahacker.org/

Se você se interessou, curta nossa página no Facebook e acompanhe a programação dos próximos eventos da PrograMaria!

Comentários

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *