Covid-19: como tirar o máximo do digital para fazer eventos? - PrograMaria

Veja com a PrograMaria lançou um novo formato para engajar e conectar profissionais de tecnologia durante a quarentena

 

A pandemia do Covid-19 e o seu necessário isolamento social trouxe inúmeros desafios para as empresas e hoje quero falar sobre como engajar profissionais de tecnologia durante esse período tão difícil. Muitas empresas têm sofrido com a dificuldade de encontrar profissionais qualificados – e inclusive essa é uma das poucas áreas que continua contratando durante a crise.

Um dos pilares para atrair as pessoas que atuam em tecnologia é desenvolver o Employer Branding da marca: divulgar sua empresa, sua cultura e valores, seus desafios de tecnologia. Empresas tradicionais que estão passando por transformação digital, por exemplo, competem por talentos com startups que nasceram sob uma aura de inovação e agilidade, e precisam se comunicar com o público para mostrar que também podem oferecer ambientes instigantes e atrativos no desenvolvimento. E uma das estratégias mais básicas era a realização, apoio ou patrocínio de eventos presenciais, uma interface para se conectar e desenvolver relacionamento com as pessoas da tecnologia e identificar talentos para as oportunidades abertas.

Os encontros presenciais eram um grande pilar da PrograMaria, startup de formação e engajamento de mulheres na tecnologia para diminuir o gap de diversidade nas empresas, principalmente por acreditarmos na potência de promover networking e no valor gerado na conexão e na troca olho no olho. Como podem imaginar, tivemos nós também que rever essa estratégia. Com o isolamento social e a mudança total na rotina, vimos o fenômeno da proliferação de lives na internet, fruto da tentativa de empresas, organizações e pessoas se manterem conectados com seu público, gerando valor em tempos incertos e de crise em muitos setores.

 

 

Como oferecer conteúdo de qualidade para se diferenciar das lives? Como gerar interação e novas conexões em tempos de isolamento?

 

Assim surgiu o formato da PrograMaria Sprint: uma jornada online de conteúdo de qualidade que organiza e dá ritmo ao aprendizado e permite que as pessoas avancem, interajam e aprendam juntas. Encontramos o parceiro ideal: a Intel quer trazer mais mulheres para a tecnologia e disseminar o tema da Inteligência Artificial, então lançamos a PrograMaria Sprint – Inteligência Artificial para Devs.

 

 

Foram mais de 2.300 pessoas inscritas que receberam, durante 10 dias, emails bem-humorados com artigos, vídeos, atividades e lives sobre os cinco módulos da Sprint. Para promover a interação, criamos um canal no Slack e também um grupo no telegram. Por lá as pessoas participantes podiam comentar a sua jornada, compartilhar referências e impressões sobre o conteúdo, além de também publicar e responder dúvidas dos módulos. 

Durante as lives, promovemos o networking com um formulário em que as participantes podiam incluir seus dados pessoais e incentivamos também que adicionassem umas às outras para trocas futuras. O resultado foi um sucesso! Nosso Net Promoter Score foi de 90. E durante o período da Sprint, também tivemos essas métricas:

  • Tivemos 4.403 espectadoras únicas no Youtube
  • 21.899 visualizações nos 14 artigos
  • Taxa de abertura média dos emails: 58,4% 
  • 11.046 visualizações no Youtube
  • 1.219 inscritas no Slack
  • 9.259 mensagens trocadas

 

 

Aproveito para compartilhar alguns aprendizados dessa experiência. O primeiro foi desmistificar a ideia de que não é possível promover experiências de interação e troca significativas no digital. Com nossa expertise de comunicação e de modulação da experiência, foi possível criar um ambiente em que as participantes se sentiram confortáveis para trocar, pedir ajuda, indicar outras referências e iniciar conversas com as outras pessoas da Sprint. O aprendizado mais importante foi aproveitar a potência do formato online, por mais que a ideia de fazer algo 100% online tenha vindo de um contexto de limitação, por não conseguirmos mais fazer eventos presenciais, o online se mostrou muito benéfico em vários aspectos, como:

  • escala (tivermos pessoas inscritas de todo o Brasil e de outros países), 
  • jornada customizada para cada participante (cada um poderia se organizar para fazer cumprir os conteúdos quando fosse melhor dentro da sua rotina e no seu ritmo, além de também escolher qual a profundidade de conhecimento gostaria de percorrer, selecionando as melhores referências indicadas no material),
  • troca assíncrona e compartilhada (os espaços públicos de troca se mostraram muito úteis, porque as dúvidas eram semelhantes, e as participantes construíram seu aprendizado por meio da colaboração e da troca. Tivemos participantes que inclusive compartilharam suas anotações e se disponibilizaram para ajudar outras pessoas)
  • Diversidade de perfis em um mesmo lugar (havia participantes que nunca tinham programado, pessoas desenvolvedoras e quem já trabalhava com inteligência artificial, essa multiplicidade de perfis enriqueceu a troca e o debate da Sprint)

Com certeza, esta pandemia está acelerando o processo de transformação digital das empresas. Nossa lição foi ver este movimento como uma oportunidade, e não uma limitação. Como está sendo na sua empresa? 

Aliás, transformação digital é o tema do próximo PrograMaria Encontros, que também será 100% online, em parceria com o Grupo Boticário. Vamos promover uma discussão para que as pessoas desenvolvedoras conheçam e tirem suas dúvidas sobre Como é trabalhar na tecnologia de uma empresa em transformação digital, e também teremos palestras sobre a cultura devops e um depoimento sobre como é ser mulher e PcD na tecnologia. Fica o convite para você fazer parte deste evento! 🙂